“Jornais da Europa e Estados Unidos resumiram o discurso do presidente com destaque para promessa de abertura comercial e de que irá seguir cuidados com o meio ambiente”

“A mídia internacional repercutiu o discurso do presidente Jair Bolsonaro no Fórum Econômico Mundial de Davos (Suíça), nesta terça-feira (22). Devido à ausência de nomes como os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da França, Emmanuel Macron, o brasileiro foi reconhecido como uma das estrelas do evento pelos tradicionais jornais Financial Times (da Inglaterra), The Washington Post (EUA) e El País (Espanha). 

“Apesar da reputação controversa, ele fez um breve discurso e respondeu a questões-chave. Bolsonaro destacou uma direção liberal de mercado e prometeu baixar impostos para tornar o país mais aberto ao comércio exterior, ao mesmo tempo em que apoiou reformas na Organização Mundial do Comércio”, pontuou o Financial Times. 

O portal financeiro destacou ainda que o presidente reconheceu que a economia brasileira é “relativamente fechada”. A CNN reforçou que “Jair Bolsonaro deu uma mensagem simples para banqueiros, investidores e executivos em Davos: a de que o Brasil está aberto para negócios”. 

Ao comentar a presença do presidente em Davos, o jornal espanhol El País seguiu a mesma linha, mas aproveitou para “cutucar” Bolsonaro – como já fez outras vezes – com o rótulo de ser de extrema-direita: “O ultradireitista quer ser um novo sócio nos negócios e na diplomacia, ao se movimentar fortemente com a aproximação dos Estados Unidos e de Israel, e se distanciar de aliados regionais tradicionais”. O El País ainda destacou o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, como “trumpista” e autor de um blog antiglobalização. 

Meio ambiente
A afirmação de Jair Bolsonaro de que o país está comprometido com o meio ambiente e que o país possui a agricultura que mais preserva a natureza no mundo também foi repercutida pela mídia estrangeira. 

“O presidente brasileiro prometeu trabalhar ‘em harmonia com o mundo’ para reduzir as emissões de carbono, em resposta às preocupações internacionais de que seu país, o maior guardião da Amazônia, poderia colocar os interesses econômicos acima dos ambientais”, avaliou a agência de notícias internacionais Associated Press, em nota replicada pelo jornal The New York Times. 

O Financial Times também deu amplo destaque ao tema. “Na sessão de perguntas e respostas, ele prometeu melhorar o clima de negócios na maior economia da América Latina ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente, enquanto erradica o ‘viés ideológico’ da política externa”. 

Cruzada contra corrupção
O francês Le Monde aproveitou a presença de Bolsonaro em Davos para enfatizar que a primeira viagem internacional do presidente brasileiro aconteceu em grande estilo. “Mas se a viagem prometia ser um sucesso, as suspeitas de corrupção envolvendo seu filho mais velho, o senador Flávio Bolsonaro, tiraram a cor da excursão”. 

Nesse sentido, os portais destacaram a comitiva do presidente “com políticas duras de combate ao crime e à corrupção”, afirmou o Financial Times. 

ENTENDA: Por que Davos é importante para o Brasil e para o mundo?

“O capitão reformado do exército garantiu que irá ajudar o país a sair de um período de tumultuado, de recessões e escândalos de corrupção que implicam dezenas de políticos e empresários do Brasil”, ressaltou a agência de notícias financeiras Bloomberg (EUA). “E, para defender sua cruzada contra a corrupção, Bolsonaro leva o ministro da Justiça, Sergio Moro, juiz que condenou o ex-presidente Lula”, escreveu o El País. 

A mídia local da Suíça também frisou essa parte do discurso de Bolsonaro: “O breve discurso do presidente brasileiro destacou a luta contra a corrupção em seu país”, abordou o diário Neue Zürcher Zeitung.”

Fonte : Gazeta do Povo

error: Conteúdo protegido por direitos autorais.